iDevices no ambiente Linux

Para você que é usuário Linux e possui iDevices – Ex; iPhone/Ipad/Ipod. Trago-lhes uma ferramenta que será muito útil caso precise gerenciar melhor os seus dispositivos.

Libimobiledevice é uma biblioteca de software multi-plataforma que suporta dispositivos iPhone®, iPod Touch®, iPad® e Apple TV®. Ao contrário de outros projetos, não depende de usar quaisquer bibliotecas proprietárias existentes e não requer jailbreak. Ele permite que outros softwares acessem facilmente o sistema de arquivos do dispositivo, recuperem informações sobre o dispositivo e internamente, façam backup / restauração do dispositivo, gerenciem ícones do SpringBoard®, gerenciem aplicativos instalados, recuperem endereços / calendários / notas e marcadores e (usando libgpod) sincronizem música / vídeo para o dispositivo. A biblioteca está em desenvolvimento desde agosto de 2007 com o objetivo de trazer suporte para o ambiente Linux.

http://www.libimobiledevice.org/

Ele está disponível nos pacotes oficias de diversas distribuições, inclusive a que eu estou fazendo utilização no momento, Gentoo. Mas não se preocupe, caso não tenha na sua distribuição, você pode ir até o site e compilar manualmente o código fonte e cada dependência.

No site, eles fornecem um pequeno F.A.Q em inglês que irei disponibilizar aqui já traduzido em pt-BR para facilitar a vida de vocês que estão querendo fazer a utilização.

FAQ:
  • Acabei de instalar, e agora? Nada acontece.
    Muito provavelmente você também precisará atualizar os aplicativos que usam libimobiledevice para que ele se torne útil. Por exemplo, o GVFS >= 1.5.1 precisa ser atualizado para permitir o acesso ao sistema de arquivos e o mesmo vale para o libgpod4 para sincronização de música. Depois de atualizar a stack e as bibliotecas relacionadas, você pode querer reiniciar a sessão da área de trabalho (logout/login ou reiniciar/restart). Para testar se você instalou tudo corretamente conecte seu dispositivo e execute “ideviceinfo” dentro de um terminal. Caso apareça diversos detalhes, está tudo funcionando.
  • Vejo o meu iPhone/iPod Touch no Rhythmbox, movo as músicas e diz que foi copiado para o dispositivo, mas nunca aparece no dispositivo!
    Certifique-se de ver a tela “Sincronização em andamento” no dispositivo antes de desconectá-lo. É essa tela que fará seu dispositivo reconhecer as trilhas que você copiou. Desconectar o dispositivo mais cedo deixará os arquivos no dispositivo, porém nunca atualize o banco de dados de música do player de mídia do dispositivo. Atualmente, o Rhythmbox não tem um fluxo de trabalho ideal sincronizando as alterações e isso está sendo trabalhado (como sincronizar diretamente após todas as faixas serem copiadas). Certifique-se também de ter uma pasta “iTunes_Control / Device”. Se não, siga o passo 5 aqui.
  • Meu iPhone/iPod Touch nunca aparece na área de trabalho! O que está errado?
    Há três causas proeminentes: 1. Você pode simplesmente precisar reiniciar seu desktop depois de uma nova instalação. 2. Se você tiver uma senha ativada no dispositivo, desative-a ao conectar-se pela primeira vez ao computador. 3. Certifique-se de usar um bom cabo USB, como alguns cabos baratos da Ásia têm mostrado causar problemas de comunicação. 4. Tente conectar usando uma porta USB diferente e não conectar usando um hub, isso pode causar problemas relacionados à hardware em alguns casos raros (isso deve ser evidente no log do sistema). 5. Informe o seu problema no nosso Bug Tracker. Isso ajudará você e outros.
  • Meu desktop GNOME mostra dois ícones do iPhone/iPod Touch! Por quê?
    Os dispositivos expõem um padrão PTP (Picture Transfer Protocol) Interface USB que o GVFS libgphoto2 usa para acessar imagens. Devido à adição de acessar o dispositivo usando libimobiledevice, dois ícones aparecem. No entanto, esse problema já está corrigido na versão mais recente do GVFS ao longo do GNOME 2.30, onde apenas um ícone aparecerá.
  • Preciso usar o iFuse para montar o dispositivo?
    O iFuse só é útil se você quiser montar o dispositivo manualmente e se você não tiver o GNOME e GVFS instalados. Caso contrário, é inútil uma vez que GVFS do GNOME suporta o acesso ao dispositivo diretamente e cria um suporte em ~/.gvfs
  • A comunicação da biblioteca com o dispositivo rompe sempre que um novo iOS® está fora?
    A biblioteca mostrou ser compatível com versões de firmware que remontam à série 1.x até hoje sem problemas. Em raras ocasiões, os bugs introduzidos pelo firmware precisavam ser trabalhados com correções simples, mas nada de importante impediu que ele funcionasse. Assim, com efeito, a implementação é muito estável e compatível entre as versões de firmware.

*Qualquer erro de tradução, nos informe nos comentários!

Seu funcionamento:

Features adicionais:

Realizando um backup do seu iPhone.

Para isto, você deve utilizar o comando “idevicebackup2”. A utilização é muito simples, basta o iDevice estar conectado corretamente e digitar, no terminal:
# idevicebackup2 backup –full /home/seuusuário/

Obs: Você tem diversas opções, podendo até criptografar o backup. Para acessar todas as informações, basta digitar “idevicebackup2”, logo verá as informações de ajuda.

Aparecerá essas informações:

Restaurando o seu iPhone

Você possui diversas alternativas para restaurar o seu aparelho, caso queira explorar todas, basta digitar “idevicebackup2”, assim você estará vendo o menu de ajuda listando todas suas funções. Para dar continuidade no backup, vamos restaurar a partir dele.

O processo é simples. Basta digitar o seguinte comando

# idevicebackup2 restore –setings /home/seuusuário

Provavelmente você irá se deparar com esta mensagem:

Backup directory is “/home/zilion/”
This is an encrypted backup.
ERROR: a backup password is required to restore an encrypted backup. Cannot continue.

Contudo, basta definir uma senha para ele com o seguinte comando:

# idevicebackup2 restore –settings –password QUALQUERSENHA /home/seuusuario

Obs: Você deve desativar o Find My Iphone.

Pronto! Você acaba de fazer Backup e Restauração sem o iTunes, e ainda por cima, em um ambiente Linux. Ainda possui dúvidas? Deu problema? Deixe-o nos comentários que eu estarei respondendo assim que possível!

Anúncios

A privacidade existe?

Acredito que esta pergunta deva ser uma das mais impertinentes que há pela interwebs… mas será mesmo que privacidade existe ou só é uma ilusão? Se faça essa pergunta e tente responder antes de continuar lendo.

Inicialmente, a privacidade pode se caracterizar pelo fato de não haver armazenamento de informações ao seu respeito.. mas antes devemos pensar que tudo é muito relativo, de primeiro temos uma noção básica de que nossas vidas são completamente expostas em redes sociais, e essa culpa acima de tudo é nossa. O problema muitas vezes está na transparência que uma empresa tem ao dizer ser contra ou a favor da privacidade de seus usuários. Por exemplo, a Apple se diz favorável a privacidade, porém quando houve a prisão do fundador do Kickass quem cedeu suas informações ao governo americano? Ela. Segundo exemplo, a Google. A google diz que em troca da sua privacidade eles te oferecem serviços mais inteligentes. Ou seja, entre a Apple e a Google, a Google acaba sendo mais transparente. Mas na real quem se importa com isso? Aquela famosa frase que todos já ouviram alguma vez na vida – “Ah, não devo nada mesmo”. E é isso que faz as empresas continuarem no que já fazem há muito tempo, e não, não digo em continuar guardando suas informações pessoais, digo no quesito transparência, as empresas tem que ser bem claras ao dizer que estão colhendo seus dados e também quais são eles. Nos falta a verdade, apenas isso.

E então privacidade não existe? Não, ela existe! …mas existe em tudo? Não, não existe em tudo. Só devemos lembrar que algumas coisas podemos sim lutar para ter um pouco de privacidade. Não é porque grandes empresas (Google, Facebook, Apple, etc…)  colhem nossos dados que devemos aceitar que todas façam isso. Sempre vai haver dois tipos de serviços, o serviço que é mais a favor da sua privacidade e o que é mais contra. 

Para finalizar, eu não quero entrar em muitos detalhes até porque esse assunto é muito longo, complexo e divide MUITAS opiniões.. também não entrei em vendas de informações pessoais pois é mais delicado e exige uma complexidade maior na criação do post, meu intuito é fazer um post leve, que todos possam ler e entender, aos que entendem mais até aos que entendem menos.

Quer dar sua opinião, seu pitaco, falar o que acha de tudo isso? Sinta-se livre nos comentários!